LOA: corte é de quase R$ 500 milhões

Mudança seria em virtude de sinais de redução nas transferências do governo federal e incertezas do cenário econômico

Por Gleyson Tete

Orçamento 2019
Foto: Marcos Santos/Imagens USP

Começou a tramitar na Assembleia Legislativa (Ales) o Projeto de Lei (PL) 2/2019, do Executivo, que traz a nova proposta de Orçamento para este ano após as alterações feitas pela equipe do governador Renato Casagrande (PSB). Houve uma redução de R$ 18,2 bilhões para R$ 17,7 bilhões em relação à peça encaminhada pelo ex-governador Paulo Hartung (sem partido).

 

Segundo argumenta Casagrande em mensagem enviada à Casa, o que levou o governo a diminuir o valor do Orçamento em aproximadamente R$ 500 milhões foi a sinalização do governo federal de que vai reduzir as transferências constitucionais e legais e as incertezas do cenário econômico.

 

“O governo prima pela cautela, criando espaço satisfatório para a contenção de gastos públicos, em um contexto que políticas, projetos e prioridades serão definidos de acordo com o planejamento estratégico do governo em exercício. O procedimento se justifica para a construção de um orçamento exequível e mais ajustado às perspectivas futuras”, justifica.

 

No Orçamento anterior o Poder Executivo ficaria com R$ 16,1 bilhões do bolo, agora passou para R$ 15,6 bilhões. Os cortes atingiram todas as secretarias do Estado, mas Educação (R$ 2,1 bi), Saúde (R$ 1,9 bi), Segurança (R$ 1,8 bi) e Justiça (R$ 404 milhões) continuam com as maiores verbas.  

 

Os demais poderes e instituições não sofreram alterações em seus respectivos orçamentos. Dessa forma o Judiciário permanece com R$ 1,059 bilhão; o Ministério Público Estadual (MP-ES) com R$ 394,7 milhões; o Legislativo com R$ 214,3 milhões; o Tribunal de Contas (TC-ES) com R$ 166,3 milhões e a Defensoria Pública (DP-ES) com R$ 57,6 milhões. 

 

Reunião extraordinária

 

Na manhã desta quarta-feira (8) ocorreu reunião extraordinária para dar início a tramitação da nova proposta orçamentária. A matéria será analisada pela Comissão de Finanças e, de acordo com o presidente do colegiado Dary Pagung (PRP), os parlamentares têm até às 20 horas da próxima sexta-feira (11) para apresentarem suas emendas individuais ao Orçamento.

 

O valor das emendas caiu de R$ 1,5 milhão de R$ 1 milhão por deputado. Alguns questionaram a redução em Plenário, mas uma reunião realizada mais tarde na Presidência da Casa com a presença de secretários de Estado da nova gestão e os parlamentares ratificou a quantia estipulada pelo Executivo.

 

A expectativa é de que na próxima semana os deputados se reúnam mais uma vez para dar andamento no Orçamento e finalmente aprovarem a peça, responsável por estimar a receita e fixar a despesa do Estado para o exercício financeiro de 2019.

 

2015

 

A situação de votação adiada do Orçamento para o primeiro ano de um novo mandato é idêntica à ocorrida entre 2014 e 2015, quando o então governador eleito Paulo Hartung efetuou em janeiro um ajuste no projeto enviado pela gestão de Casagrande, que tinha acabado de deixar o Executivo. Na época, o corte realizado foi de mais de R$ 1 bilhão.

Políticas públicas para evitar violência contra mulher
Em audiência, frente parlamentar debateu importância de envolver núcleo familiar como meio de mitigar essa mazela
Quintino quer mudança em lei de reclusão de PMs
Segundo proposta, ex-PMs com até 10 anos de desligamento da corporação também terão direito a ficarem reclusos em instalações militares
PL: gestantes orientadas contra Aedes aegypti
Propositura de Xambinho prevê medidas de prevenção de doenças causadas pelo mosquito
Coinfra recebe fabricante de embarcações
Modelo de empresa de SP tem capacidade para 60 pessoas sentadas; Comissão de Infraestrutura já ouviu empresas que atuam no Rio e em Vitória
Políticas públicas para evitar violência contra mulher
Em audiência, frente parlamentar debateu importância de envolver núcleo familiar como meio de mitigar essa mazela
Quintino quer mudança em lei de reclusão de PMs
Segundo proposta, ex-PMs com até 10 anos de desligamento da corporação também terão direito a ficarem reclusos em instalações militares
PL: gestantes orientadas contra Aedes aegypti
Propositura de Xambinho prevê medidas de prevenção de doenças causadas pelo mosquito