Areia monazítica é tema da Comissão de Turismo

Colegiado ouviu sobre pesquisa que aponta propriedades medicinais da areia encontrada em praias de Guarapari

Por Larissa Lacerda

Carlos Von
Deputado avaliou importância do estudo para estimular turismo de Guarapari / Foto: Tati Beling

O potencial turístico das areias monazíticas de Guarapari foi tema da reunião desta segunda-feira (15) da Comissão de Turismo. Os deputados receberam o advogado e pesquisador, Walter de Prá, que estuda as propriedades radioativas das areias monazíticas do município.

Após mais de 10 anos de pesquisa nas praias da Areia Preta e de Meaípe o professor de Física Nuclear da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) Marcos Tadeu Orlando e sua equipe alcançaram resultados que apontam a relação entre as propriedades radioativas das areias monazíticas e a menor incidência de câncer de mama em mulheres no município de Guarapari.

Walter de Prá acompanha e auxilia a pesquisa. Ele informou que o estudo vai ser indicado à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para reconhecimento medicinal.

Dados do Sistema Único de Saúde (SUS) apontam que o índice de câncer de mama no município é bem menor que em outras cidades capixabas. Enquanto em Guarapari, para cada 1.000 mulheres, duas têm ou tiveram câncer de mama, em Colatina são 178 e em Linhares 141.

De Prá ressaltou que um dos pioneiros de estudos sobre efeito terapêutico das areias de Guarapari foi o médico Antônio da Silva Mello, que publicou um artigo sobre o tema na década de 1930.

Silva Mello já defendia na época que a radiação emitida pelos minerais da areia, em contato com a pele, estimularia o fluxo sanguíneo na região afetada, curando doenças. Nos anos 1960 e 1970, turistas começaram a procurar o balneário por causa de suas areias que prometiam curar problemas como reumatismo e artrite.

O estudo elaborado na Ufes aponta que o benefício da areia monazítica não está em passá-la pelo corpo, como muitos acreditam, mas no ar, onde estão os íons e a radiação, que funcionam preventivamente como uma espécie de vacina. Em muita quantidade, a radiação causa danos à saúde, porém, em doses pequenas, como as de Guarapari, o corpo cria resistência, o que gera uma atividade biopositiva.

De Prá afirma que nas areias das praias da Areia Preta e Meaípe, em Guarapari, existem 22 qualidades de produtos físicos e a radioatividade é natural. “Depois que pesquisei todos os países e participei de dois congressos internacionais com recursos próprios, voltei convicto de que Deus deu para Guarapari o que não deu para o mundo porque lá tem a soma de todas as praias que têm radioatividade e areias monazíticas”.

O presidente da Comissão de Turismo, deputado Carlos Von (Avante), ressaltou a importância da pesquisa e o potencial da cidade em se tornar referência turística pelas areias monazíticas.

“Guarapari já é considerada a ‘Cidade Saúde’ por suas areias monazíticas, muitas pessoas já buscam nas areias ajuda para tratar doenças. Pesquisas como essa ajudam a confirmar essas propriedades e também a alavancar o turismo e tornar Guarapari referência nacional e internacionalmente”, concluiu o parlamentar.

Comissões: Turismo
Políticas públicas para evitar violência contra mulher
Em audiência, frente parlamentar debateu importância de envolver núcleo familiar como meio de mitigar essa mazela
Quintino quer mudança em lei de reclusão de PMs
Segundo proposta, ex-PMs com até 10 anos de desligamento da corporação também terão direito a ficarem reclusos em instalações militares
PL: gestantes orientadas contra Aedes aegypti
Propositura de Xambinho prevê medidas de prevenção de doenças causadas pelo mosquito
Coinfra recebe fabricante de embarcações
Modelo de empresa de SP tem capacidade para 60 pessoas sentadas; Comissão de Infraestrutura já ouviu empresas que atuam no Rio e em Vitória
Políticas públicas para evitar violência contra mulher
Em audiência, frente parlamentar debateu importância de envolver núcleo familiar como meio de mitigar essa mazela
Quintino quer mudança em lei de reclusão de PMs
Segundo proposta, ex-PMs com até 10 anos de desligamento da corporação também terão direito a ficarem reclusos em instalações militares
PL: gestantes orientadas contra Aedes aegypti
Propositura de Xambinho prevê medidas de prevenção de doenças causadas pelo mosquito