Linhares pede melhor estrutura para as Polícias

Em audiência pública, o delegado Leandro Barbosa Moraes defendeu a realização de concursos regionalizados para suprir o deficit de profissionais  na Polícia Civil

Por Larissa Lacerda

Audiência pública na Câmara de Linhares
Debate está sendo realizado em vários municípios do Estado / Foto: Larissa Lacerda

A Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa (Ales) realizou audiência pública em Linhares, no norte do Estado, na noite desta quarta-feira (10). O encontro contou com políticos locais e representantes das Polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros, Ministério Público e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). As principais demandas na região foram elencadas pelos participantes e incluem aumento do número de servidores das Polícias Civis e Militar e  criação de um complexo para integrar as forças de segurança do município. 

Confira fotos da audiência pública

A audiência faz parte do Projeto “Comissão de Segurança Itinerante”, que objetiva ir ao encontro das comunidades e instituições para ouvir as demandas e posteriormente buscar soluções junto ao Poder Executivo. O colegiado já esteve em Colatina, Aracruz e Cachoeiro de Itapemirim. Em agosto, estão previstas audiências em Fundão e Rio Novo do Sul.

“Primeiramente, decidimos buscar a interlocução com sindicatos e associações ligadas à segurança pública. Identificamos suas necessidades e pontos vulneráveis, resultando em várias indicações ao governo. Agora estamos ouvindo as comunidades para levar as demandas para o governo do Estado”, explicou o presidente da comissão, deputado Delegado Danilo Bahiense (PSL). 

Violência

O bairro Interlagos, do município de Linhares, registrou o maior número de assassinatos no Estado entre janeiro e maio de 2019. De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), neste período foram sete homicídios no bairro Interlagos e dois em Interlagos I, totalizando nove homicídios na região mais populosa de Linhares com mais de 30 mil domicílios. 

Para Bahiense, “o aumento da violência está ligado ao abandono que a região vem enfrentando”. Ele informou que já vem discutindo soluções com o governo do estado.

Aumento do efetivo

Um dos pontos de destaque na audiência foi a discussão sobre defasagem de servidores e de estrutura nas Polícias Civil e Militar. O presidente do Conselho Interativo de Segurança Pública de Linhares (Consel), Roque Felix, entregou à comissão um documento com as demandas da região.

Entre as solicitações, estão o aumento do efetivo da segurança pública, a reestruturação da Superintendência Técnico-Científica e a construção de um espaço para melhor abrigar o Serviço Médico Legal no município, além da criação de um complexo que integre as forças de segurança do município.

O delegado da 16ª Regional da Polícia Civil, Leandro Barbosa Moraes, apresentou sugestões para o deficit de profissionais na região. “Os dados apresentados em relação à Polícia Civil são reais e ainda existem problemas que vão além. O quadro organizacional da Polícia Civil é de 1990 e, para tentar solucionar essa realidade de deficit de servidores, eu deixo como sugestão a realização de concurso regionalizado, no molde da Polícia Federal, para que os profissionais façam o concurso direcionado para as regionais. Também é necessário criar um critério objetivo de distribuição de efetivo. Além disso, há o desafio de criar em Linhares um complexo de segurança pública que integre Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar”. recomendou.

Investimentos

O promotor de Justiça Emmanoel Gagno cobrou qualidade na aplicação dos recursos públicos. “É preciso olhar com muito critério para a destinação dos recursos. É necessário que o representante do povo esteja realmente conectado com o povo. E que converse com o povo com seriedade, sem demagogia. A nós foi delegado poder, e o que o povo quer de nós é que exerçamos esse poder com extrema responsabilidade. Reforço aqui que se não é possível ao Poder Legislativo aplicar verbas, é possível ao Poder Legislativo fiscalizar a aplicação das verbas”.

O treinador de futebol Neemias Santos defendeu investimentos para os serviços públicos de educação e saúde como forma de prevenir a violência. “Eu peço aos deputados que não pensem em ampliar o Iases ou em construir mais presídios. Peço que construam escolas de qualidade, que escolham bem onde aplicar as verbas públicas. É necessária a aplicação do dinheiro público em medidas de profilaxia e não em curativos. Só assim vamos interromper esse processo de pobreza e a falta de oportunidades que levam os jovens para o crime. Invistam nas nossas crianças”, cobrou.

Além do presidente da comissão, os deputados Delegado Lorenzo Pazolini (sem partido) e Marcos Garcia (PV) participaram do debate em Linhares. Após a série de audiências públicas promovidas pela Comissão de Segurança, o grupo irá elaborar um relatório com as principais reivindicações e propostas para serem apresentadas ao Poder Executivo.

Comissões: Segurança
Projeto regra religação de serviços essenciais
Pela proposta, religação normal dos serviços nas áreas urbanas deverá levar no máximo seis horas e as de urgência três horas, com o dobro do limite para zona rural
Pagamento no cartão para evitar corte de energia
O objetivo da matéria é dar mais opções para quitação de débitos e poupar a empresa do retrabalho de desligar e religar o serviço
Mobilidade urbana foi tema de debate e fiscalização em 2019
Comissão de Infraestrutura da Assembleia chamou sociedade, Poderes e entidades para discussão sobre os principais gargalos da área no Estado
Favatto quer fraldário para idosos em lojas
Pelo texto proposto, espaço também atenderia adultos com alguma deficiência
Projeto regra religação de serviços essenciais
Pela proposta, religação normal dos serviços nas áreas urbanas deverá levar no máximo seis horas e as de urgência três horas, com o dobro do limite para zona rural
Pagamento no cartão para evitar corte de energia
O objetivo da matéria é dar mais opções para quitação de débitos e poupar a empresa do retrabalho de desligar e religar o serviço
Mobilidade urbana foi tema de debate e fiscalização em 2019
Comissão de Infraestrutura da Assembleia chamou sociedade, Poderes e entidades para discussão sobre os principais gargalos da área no Estado