Fundo das Desigualdades: relatório de aplicação irá para TCE

Lei publicada nesta quarta (11) melhora mecanismo fiscalizatório de recursos utilizados por prefeituras advindos dos royalties do petróleo e gás

Por Marcos Bonn

Enivaldo dos Anjos
Lei sancionada é de autoria do deputado Enivaldo dos Anjos / Foto: Tati Beling

Foi publicada e começa a valer a partir desta quarta-feira (11) a Lei 11.035. De autoria parlamentar, ela prevê que municípios contemplados pelo Fundo para Redução das Desigualdades Regionais (Lei 8.308/2006) também deverão enviar relatórios de aplicação dos recursos ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-ES) nos meses de junho e novembro.

A mudança na lei decorre do Projeto de Lei (PL) 484/2019, do deputado Enivaldo dos Anjos (PSD). A lei sugere reforçar o mecanismo fiscalizatório ao incluir o TCE-ES, ao lado dos legislativos municipais e estadual, como destinatário da documentação.

A Lei 11.035 determina que os recursos advindos do fundo deverão ser usados pelas prefeituras no exercício de seu recebimento. No entanto, a regra permite a utilização desse dinheiro fora desse prazo caso exista plano de trabalho descrito no relatório de aplicação a ser entregue em novembro.

Veto

O artigo 3º da Lei 11.035, que incluía o artigo 7º-A na Lei 8.308, foi vetado na íntegra. As alterações obrigavam o Tribunal de Contas a encaminhar à Comissão de Finanças da Assembleia Legislativa (Ales) nos meses de agosto e dezembro a relação de municípios capixabas em falta com o encaminhamento do relatório de aplicação.

Além disso, o TCE-ES ficaria incumbido de encaminhar parecer sobre esses documentos em prazo determinado para o colegiado de Finanças de modo que a comissão pudesse aprovar ou adotar medidas de bloqueio a futuros repasses. Uma vez que tivesse passado pelo Plenário, esse parecer seria remetido ao Poder Executivo.

O fundo

O Fundo para Redução das Desigualdades Regionais foi criado para destinar a municípios capixabas não produtores de petróleo e gás parte dos recursos repassados ao Estado como mecanismo compensatório pela exploração (royalties).

Mantido veto parcial a PL sobre pesagem de produtos
Estabelecimentos ficam desobrigados a destacar funcionário para conferir peso, mas deverão disponibilizar balança para uso do consumidor  
Descartáveis: semana para debater uso zero
Emílio Mameri sugere que data sirva para esclarecer impactos causados por esses produtos
Personal poderá ter livre acesso às academias
PL do Delegado Danilo Bahiense acaba com cobrança de taxas por parte dos alunos e educadores físicos
Doenças raras: diagnóstico tardio e custo do tratamento são entraves
Presidente de associação de apoio aos pacientes, Cristiane Alvarenga, defende criação de centro de referência para atendimento aos pacientes
Mantido veto parcial a PL sobre pesagem de produtos
Estabelecimentos ficam desobrigados a destacar funcionário para conferir peso, mas deverão disponibilizar balança para uso do consumidor  
Descartáveis: semana para debater uso zero
Emílio Mameri sugere que data sirva para esclarecer impactos causados por esses produtos
Personal poderá ter livre acesso às academias
PL do Delegado Danilo Bahiense acaba com cobrança de taxas por parte dos alunos e educadores físicos
Não há notícias referenciadas.