Segurança discute pleitos de policiais civis

Reunião ordinária do colegiado começa às 11 horas de segunda-feira (25)

Por Luciana Wernersbach

Comissão de Segurança
Reunião do colegiado será no Plenário Rui Barbosa / Foto: Lucas Silva

Na próxima reunião da Comissão de Segurança, na segunda-feira (25), os deputados recebem quatro representantes de policiais civis. Os convidados devem debater, junto com o colegiado, sobre os problemas vividos pela classe. A reunião será no Plenário Rui Barbosa, às 11 horas.

São aguardados na reunião: o diretor da Associação dos Servidores em Segurança Pública do Estado (ASSP-ES), Paulo Fernando; o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol-ES), Aloísio Ernesto Duboc Fajardo; o vice-presidente da Federação Interestadual dos Policiais Civis (Feipol), Clóvis Guioto; e o diretor da Confederação Brasileira dos Policiais Civis (Cobrapol), Humberto Mileip.

A comissão é presidida pelo deputado Delegado Danilo Bahiense (PSL). O vice-presidente é o deputado Coronel Alexandre Quintino (PSL), e os deputados membros são Euclério Sampaio (sem partido), Capitão Assumção (PSL), Luciano Machado (PV), Delegado Lorenzo Pazolini (sem partido), Marcelo Santos (PDT), Enivaldo dos Anjos (PSD) e Dr. Emilio Mameri (PSDB).

Comissões: Segurança
Projeto regra religação de serviços essenciais
Pela proposta, religação normal dos serviços nas áreas urbanas deverá levar no máximo seis horas e as de urgência três horas, com o dobro do limite para zona rural
Pagamento no cartão para evitar corte de energia
O objetivo da matéria é dar mais opções para quitação de débitos e poupar a empresa do retrabalho de desligar e religar o serviço
Mobilidade urbana foi tema de debate e fiscalização em 2019
Comissão de Infraestrutura da Assembleia chamou sociedade, Poderes e entidades para discussão sobre os principais gargalos da área no Estado
Favatto quer fraldário para idosos em lojas
Pelo texto proposto, espaço também atenderia adultos com alguma deficiência
Projeto regra religação de serviços essenciais
Pela proposta, religação normal dos serviços nas áreas urbanas deverá levar no máximo seis horas e as de urgência três horas, com o dobro do limite para zona rural
Pagamento no cartão para evitar corte de energia
O objetivo da matéria é dar mais opções para quitação de débitos e poupar a empresa do retrabalho de desligar e religar o serviço
Mobilidade urbana foi tema de debate e fiscalização em 2019
Comissão de Infraestrutura da Assembleia chamou sociedade, Poderes e entidades para discussão sobre os principais gargalos da área no Estado