Sul tem audiência sobre violência contra crianças

Para o debate nesta quinta, em Itapemirim, Comissão de Proteção à Criança e do Adolescente convidou gestores públicos municipais 

Por Márcia Tourinho 

Comissão de Proteção à Criança e ao Adolescente
Debate foi proposto por Pazolini (c), presidente da Comissão de Proteção à Criança / Foto: Lucas Silva

O combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes é tema da audiência pública a ser realizada pela Comissão de Proteção à Criança e ao Adolescente no município de Itapemirim, sul do Estado.

Proposto pelo deputado Delegado Lorenzo Pazolini (sem partido), o debate acontecerá na Igreja Batista Memorial, no bairro Garrafão, nesta quinta-feira (5), às 18 horas.  

Foram convidados para a Audiência: o prefeito municipal de Itapemirim, Thiago Peçanha Lopes (PSDB); os secretários de Assistência Social, de Saúde e de Educação do município, Angel Hugo Correa, Zelia Rita Kock Ferreguette e Viviane da Rocha Peçanha, respectivamente.

Também estão entre os convidados o presidente da Câmara Municipal de Itapemirim, Delfino Amaro, e o pastor da Igreja Assembleia de Deus Missão Resgate de Itapemirim, Jose Augusto de Souza Cardoso.

Na data de 18 de maio, celebra-se o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, instituído pela Lei Federal 9.970/2000. 

Segundo o Ministério da Mulher, da Família e Direitos Humanos (MDH), responsável por coordenar as ações de combate às violações dirigidas à criança e ao adolescente, o Disque 100 (Disque Direitos Humanos) registrou que das mais de 70 mil denúncias envolvendo crianças e adolescentes em 2018. Desse total, mais de 17 mil são referentes à violência e exploração sexual. 

Colegiado

A Comissão de Proteção à Criança e ao Adolescente é presidida pelo deputado Delegado Lorenzo Pazolini (sem partido). O deputado Luciano Machado (PV) é o vice-presidente e Vandinho Leite (PSDB), membro efetivo. Na suplência estão Marcos Mansur (PSDB) e Marcelo Santos (PDT). 
 

Projeto regra religação de serviços essenciais
Pela proposta, religação normal dos serviços nas áreas urbanas deverá levar no máximo seis horas e as de urgência três horas, com o dobro do limite para zona rural
Pagamento no cartão para evitar corte de energia
O objetivo da matéria é dar mais opções para quitação de débitos e poupar a empresa do retrabalho de desligar e religar o serviço
Mobilidade urbana foi tema de debate e fiscalização em 2019
Comissão de Infraestrutura da Assembleia chamou sociedade, Poderes e entidades para discussão sobre os principais gargalos da área no Estado
Favatto quer fraldário para idosos em lojas
Pelo texto proposto, espaço também atenderia adultos com alguma deficiência
Projeto regra religação de serviços essenciais
Pela proposta, religação normal dos serviços nas áreas urbanas deverá levar no máximo seis horas e as de urgência três horas, com o dobro do limite para zona rural
Pagamento no cartão para evitar corte de energia
O objetivo da matéria é dar mais opções para quitação de débitos e poupar a empresa do retrabalho de desligar e religar o serviço
Mobilidade urbana foi tema de debate e fiscalização em 2019
Comissão de Infraestrutura da Assembleia chamou sociedade, Poderes e entidades para discussão sobre os principais gargalos da área no Estado