Deputada quer instituir data contra fake news

Proposta de Iriny Lopes estabelece 24 de março, Dia Internacional do Direito à Verdade, como data de combate à disseminação de boatos e notícias falsas

Por Kissila Mell

Iriny Lopes
Iriny Lopes quer data pelo combate à notícia falsa / Foto: Tati Beling

Com o intuito de combater a disseminação de boatos e mentiras nas redes sociais, tramita na Assembleia Legislativa (Ales) o Projeto de Lei (PL) 918/2019 que institui o Dia Estadual de conscientização e combate a propagação ou disseminação de notícias falsas, as chamadas fake news. A proposta é da deputa estadual Iriny Lopes (PT), que estabelece o dia 24 de março como data de ação e combate à prática no calendário oficial do Estado.

De acordo com a proposta, a escolha da data é uma referência ao Dia Internacional do Direito à Verdade, que já faz parte do calendário nacional de datas comemorativas.  “Resguardando assim, o dia dedicado à reflexão coletiva a respeito da importância do conhecimento das situações em que ocorreram violações aos direitos humanos e dignidade das vítimas”, destacou Iriny na justificativa do projeto.

Para isso, o PL acrescenta item ao anexo I da Lei nº 10.973/2019 - norma que consolida a legislação em vigor referente às datas comemorativas.

“Urge a necessidade de o estado adotar legislação própria, políticas e programas que combatam e previnam a disseminação de notícias falsas sendo que a educação da população é sempre a melhor e mais barata solução a ser adotada”, ressaltou a proponente da iniciativa.

Tramitação

O PL será analisado pela comissão de Justiça da Assembleia.

Deputados: Iriny Lopes
Projeto regra religação de serviços essenciais
Pela proposta, religação normal dos serviços nas áreas urbanas deverá levar no máximo seis horas e as de urgência três horas, com o dobro do limite para zona rural
Pagamento no cartão para evitar corte de energia
O objetivo da matéria é dar mais opções para quitação de débitos e poupar a empresa do retrabalho de desligar e religar o serviço
Mobilidade urbana foi tema de debate e fiscalização em 2019
Comissão de Infraestrutura da Assembleia chamou sociedade, Poderes e entidades para discussão sobre os principais gargalos da área no Estado
Favatto quer fraldário para idosos em lojas
Pelo texto proposto, espaço também atenderia adultos com alguma deficiência
Projeto regra religação de serviços essenciais
Pela proposta, religação normal dos serviços nas áreas urbanas deverá levar no máximo seis horas e as de urgência três horas, com o dobro do limite para zona rural
Pagamento no cartão para evitar corte de energia
O objetivo da matéria é dar mais opções para quitação de débitos e poupar a empresa do retrabalho de desligar e religar o serviço
Mobilidade urbana foi tema de debate e fiscalização em 2019
Comissão de Infraestrutura da Assembleia chamou sociedade, Poderes e entidades para discussão sobre os principais gargalos da área no Estado