PL obriga faculdade a divulgar média de aprovação em exames e conselhos

O objetivo da proposta de Assumção é promover informação sobre a qualidade das instituições de ensino

Por Redação Web Ales

Capitão Assumção
Projeto de Capitão Assumção está tramitando na Assembleia / Foto: Lissa de Paula

O deputado Capitão Assumção (PSL) quer obrigar instituições de ensino superior a divulgarem a média de aprovação de seus alunos nos últimos três exames de proficiência ou de admissão em conselhos profissionais. A medida é objeto do Projeto de Lei (PL) 588/2019 que será analisado pelas comissões de Justiça, Educação e Finanças da Assembleia Legislativa.

O PL determina que a divulgação dessas informações ocorra em todos os meios publicitários utilizados pela instituição de ensino e explicitem o resultado final, consignando o número de egressos inscritos em cada exame, indicando o percentual de aprovação e reprovação com idêntico destaque.

De acordo com o texto, os exames para obtenção de títulos de especialista – a exemplo das residências médicas – nãos se enquadram na medida, cujo objetivo, segundo o autor, é levar ao cidadão informação sobre a qualidade de ensino das instituições.

Penalidades

Os estabelecimentos que descumprirem a norma estarão sujeitos à multa que pode variar entre R$ 701 e R$ 10,5 milhões - o que corresponde entre 200 e três milhões de Valores de Referência do Tesouro Estadual (VRTEs).

O deputado explica que as instituições não divulgam os dados desses exames. Ele alega que, embora esse não seja o único meio de avaliação de uma instituição, é uma ferramenta importante, uma vez que esta informação é de grande relevância para o estudante na hora de escolher em qual instituição se matricular.

“A realidade anuncia sonhos e entrega pesadelos. Na publicidade para captar novos alunos, as instituições omitem esse elemento e não o esclarecem no ato da matrícula. Entendemos que essa prática viola o Código de Defesa do Consumidor”, afirma.

Projeto regra religação de serviços essenciais
Pela proposta, religação normal dos serviços nas áreas urbanas deverá levar no máximo seis horas e as de urgência três horas, com o dobro do limite para zona rural
Pagamento no cartão para evitar corte de energia
O objetivo da matéria é dar mais opções para quitação de débitos e poupar a empresa do retrabalho de desligar e religar o serviço
Mobilidade urbana foi tema de debate e fiscalização em 2019
Comissão de Infraestrutura da Assembleia chamou sociedade, Poderes e entidades para discussão sobre os principais gargalos da área no Estado
Favatto quer fraldário para idosos em lojas
Pelo texto proposto, espaço também atenderia adultos com alguma deficiência
Projeto regra religação de serviços essenciais
Pela proposta, religação normal dos serviços nas áreas urbanas deverá levar no máximo seis horas e as de urgência três horas, com o dobro do limite para zona rural
Pagamento no cartão para evitar corte de energia
O objetivo da matéria é dar mais opções para quitação de débitos e poupar a empresa do retrabalho de desligar e religar o serviço
Mobilidade urbana foi tema de debate e fiscalização em 2019
Comissão de Infraestrutura da Assembleia chamou sociedade, Poderes e entidades para discussão sobre os principais gargalos da área no Estado