PL: mais transparência em compras públicas

Sistema mostraria valores pagos por bens e serviços pelo Poder Público estadual e municipal

Por Gleyson Tete

Sergio Majeski
Para deputado, invariavelmente ocorrem divergências entre valores pagos pelos Municípios e Estado / Foto: Lucas Silva

Estabelecer normas para a criação de um sistema unificado de consulta de preços de bens e serviços contratados pelo Estado e pelos Municípios capixabas. Este é o objetivo do Projeto de Lei (PL) 528/2020, protocolado na Assembleia Legislativa (Ales) pelo deputado Sergio Majeski (PSB).

Segundo o parlamentar, invariavelmente ocorrem divergências entre os valores pagos por produtos e serviços pelos entes municipais e pelo Estado. “Podemos relembrar a compra de repelentes pelo governo estadual em 2017, com valor superior ao pago por prefeituras e pela própria administração estadual em outras ocasiões. Após as devidas apurações, ficou confirmada a ocorrência da fraude na Secretaria de Estado da Saúde, o que causou um prejuízo milionário aos cofres públicos”, argumenta.

De acordo com a inciativa, o sistema deverá contar com um banco de dados para armazenamento e acesso público ao histórico dos valores praticados nas aquisições de bens e serviços pelos entes públicos. A obrigação abrange todas as unidades gestoras que possuam o dever legal de prestar contas ao Tribunal de Contas Estadual (TCE-ES).

A matéria destina à Corte de Contas a missão de regulamentar e implementar o sistema, que precisará contar com diversos requisitos, tais como: ferramenta de pesquisa de conteúdo e que permita a comparação de preços; possibilidade de gravação de relatórios; exibição de alertas para contratações que superem o valor médio registrado para o item; cadastramento de usuários interessados em receber informações e conteúdo acessível para pessoas com deficiência.

O TCE-ES deverá, ainda, orientar os gestores públicos sobre as formas de consulta ao sistema. O banco de dados deverá conter as informações previstas no Anexo VII – Remessa Contratação, da Instrução Normativa 43/2017, do próprio Tribunal, compreendendo os dados fornecidos pelas unidades gestoras até a conclusão do procedimento de escolha do fornecedor.

Outro ponto da proposição diz que dentro do contexto desse sistema terá que ser incentivado o desenvolvimento de ferramentas tecnológicas que auxiliem no exercício do controle social por meio da aplicação de técnicas de análise de dados, inclusive, mediante realização de cursos e eventos acerca do tema.

Se o sistema verificar indício de sobrepreço e ocorrer confirmação posterior pelos técnicos do Tribunal de Contas, o gestor público responsável deverá ser notificado para prestar os esclarecimentos necessários na forma da lei.

Majeski ressalta que a ideia foi inspirada em mecanismo existente no Tribunal de Contas do Mato Grosso (TCE-MT), denominado Radar de Compras Públicas. “O sistema implantado pela Corte de Contas mato-grossense disponibiliza os dados e as informações das licitações e preços praticados nos municípios e Estado de Mato Grosso, sendo constantemente abastecido pelas licitações homologadas e declaradas ao TCE-MT”, explica.

Caso o projeto vire lei, a nova legislação passa a valer a partir da sua publicação em diário oficial.

Tramitação

A matéria foi lida no Expediente da sessão ordinária híbrida do dia 7 de outubro e deve ser analisada pelas comissões de Justiça e Finanças, antes de ser votada pelo Plenário da Casa. 
 

Deputados: Sergio Majeski
Morte de ambientalista repercute na Assembleia
Luciana Antonini foi encontrada morta no sábado (17) na praia em Anchieta, com sinais de violência
CRM elogia atuação do SUS na pandemia
Para presidente do Conselho Regional de Medicina, Celso Murad, sistema público conseguiu dar respostas rápidas e eficientes e destacou qualidade dos profissionais 
Novas matérias começam a tramitar na Casa
Na Ordem do Dia, entretanto, votação ficou "trancada" devido a pedido de prazo
PL: pulseira pode auxiliar idoso e doente crônico
Ideia é que dispositivo eletrônico seja distribuído pelas unidades de saúde, com uso opcional, para agilizar socorro em caso de emergência
Morte de ambientalista repercute na Assembleia
Luciana Antonini foi encontrada morta no sábado (17) na praia em Anchieta, com sinais de violência
CRM elogia atuação do SUS na pandemia
Para presidente do Conselho Regional de Medicina, Celso Murad, sistema público conseguiu dar respostas rápidas e eficientes e destacou qualidade dos profissionais 
Novas matérias começam a tramitar na Casa
Na Ordem do Dia, entretanto, votação ficou "trancada" devido a pedido de prazo