PL isenta arroz e feijão de ICMS no estado

Proposta do deputado Alexandre Xambinho reproduz no Espírito Santo benefício tributário já fixado nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro

Por Gabriela Zorzal, com edição de Nicolle Expósito

Quatro vasilhas redondas com arroz e feijão
Com isenção, itens da cesta básica podem ficar mais acessíveis à população / Foto: Freepik

O arroz e o feijão, principais alimentos do PF brasileiro, podem ganhar isenção de imposto no Espírito Santo. Por meio do Projeto de Lei (PL) 604/2021, o deputado Alexandre Xambinho (PL) quer conceder o benefício tributário que já é aplicado em São Paulo a fim de evitar disputa entre as duas unidades federativas.

Na prática, o PL isenta de ICMS as operações desses grãos, o que aconteceu em São Paulo quando o estado aderiu a dois convênios de ICMS, o 160/2017 e o 190/2017, ambos para reduzir a carga tributária desses produtos.

Na justificativa da matéria, o autor explica que esse recurso de adesão a benefícios fiscais concedidos para outro Estado da mesma região geográfica é legal no país, a denominada “colagem”. “Diante de todas as dificuldades econômicas a que a população de nosso estado está submetida em razão da pandemia do novo coronavírus, a intenção é isentar a carga tributária desses alimentos tão essenciais na mesa de todo cidadão capixaba”, explica o parlamentar.

ICMS

O Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) é um imposto estadual básico que incide sobre diversos produtos e serviços do dia a dia. O tributo é cobrado na venda de um artigo ou na contratação de um serviço. No Espírito Santo, o ICMS é regido pela Lei 7.000/2001, que traz as alíquotas tarifárias cobradas em cada caso. Em teoria, as isenções de ICMS buscam beneficiar alguma cadeia produtiva específica. Vale destacar que esse tributo é essencial na composição da receita dos Estados e dos municípios, já que uma parte fica com o governo estadual e outra é destinada às prefeituras.

Setores específicos e produtos podem receber incentivos tributários como forma de aquecer a economia ou auxiliar em períodos de crise, mas esses incentivos dependem da decisão do Conselho Nacional da Fazenda (Confaz), um órgão deliberativo composto pelo Ministro da Fazenda (ou seu representante) e os secretários estaduais da Fazenda. Entre os instrumentos de sua competência, estão os convênios de ICMS, que permitem a revogação, a concessão ou os incentivos fiscais para determinadas áreas da economia ou produtos.

Vetos seguem na pauta da sessão desta quarta
Manutenção de prazo para relatoria de veto impediu que demais itens da pauta de votações fossem analisados pelo Plenário
Pólio: deputado destaca importância de vacinação
Doutor Hércules, presidente da Comissão de Saúde, alertou que a baixa cobertura vacinal causa risco de a paralisia infantil retornar ao país
PL cria serviço de reparo em cadeiras de rodas
Proposta cria “Paraoficina”, destinada à manutenção e conserto gratuitos em cadeiras de roda, muletas e próteses
Finanças aprova contas do governo referentes a 2020
Julgamento das contas prestadas pelo governador é de competência exclusiva da Assembleia Legislativa
Vetos seguem na pauta da sessão desta quarta
Manutenção de prazo para relatoria de veto impediu que demais itens da pauta de votações fossem analisados pelo Plenário
Pólio: deputado destaca importância de vacinação
Doutor Hércules, presidente da Comissão de Saúde, alertou que a baixa cobertura vacinal causa risco de a paralisia infantil retornar ao país
PL cria serviço de reparo em cadeiras de rodas
Proposta cria “Paraoficina”, destinada à manutenção e conserto gratuitos em cadeiras de roda, muletas e próteses