Mochila com sensor é apresentada na Ales

Bolsa para detectar obstáculos foi criada por alunos de escola pública para atender pessoas com deficiência visual

Por Gabriela Zorzal, com edição de Angèle Murad | Atualizado há 8 meses

Um jovem com uma mochila preta e duas jovens, todos em pé
Estudantes ressaltaram o baixo custo da tecnologia assistiva / Foto: Ellen Campanharo

Uma mochila com sensor de obstáculos, criada por alunos da rede pública, pode ajudar muitas pessoas com deficiência visual. A tecnologia foi apresentada, na reunião da Comissão de Saúde desta terça-feira (19), por alunos da Escola Estadual Lyra Ribeiro Santos, de Guarapari.

A reunião foi presidida pelo deputado Dr. Bruno Resende (União) e contou com a presença dos deputados Pablo Muribeca (Patri) e Zé Preto (PL), proponente da agenda.

"É uma tecnologia assistiva que tem como principal objetivo ajudar as pessoas que têm deficiência visual", afirmou Julia Aragão, uma das estudantes responsáveis pelo projeto. Júlia é aluna do 1° ano do ensino médio.

A estudante Rayssa Inês Lima Freire, do 3° ano do ensino médio, contou como foi o processo de construção da mochila. "Começamos a construir nosso produto com sucatas. A partir desse primeiro projeto, avançamos com materiais mais sofisticados. Fomos até o Instituto Braille para que os usuários testassem nosso produto e foi aprovado. É um produto que se adequa a orçamentos mais moderados, já que custa cerca de R$ 115".

Fotos da reunião da Comissão de Saúde

O produto inclusivo participou da Feira Internacional Expo Nacional Milset Brasil e foi classificado em quarto lugar na área de Ciências Sociais e Aplicadas. Com a premiação, os estudantes foram credenciados para outras competições, inclusive no exterior.

De acordo com o estudante Rodrigo Corrêa Piassarollo, aluno do 1° ano do ensino médio, a mochila funciona a partir de um sensor que consegue identificar obstáculos e avisa o usuário por meio de alarme sonoro.

"Uma das vantagens da mochila é que ela consegue avisar o usuário sobre o obstáculo em uma altura maior que a bengala, normalmente utilizada pelas pessoas com deficiência visual. Ouvimos relatos de pessoas que se machucaram, por exemplo, se acidentando com obstáculos altos. A mochila traz uma segurança a mais", contou o aluno.

O professor de Biologia responsável pelo projeto, Frederico André Gonçalves Freital, disse que o objetivo foi criar um equipamento para pessoas que precisam: “É uma tecnologia barata e que pode ajudar muito quem tem deficiência. Não queremos ganhar dinheiro com isso, nós queremos disponibilizar para quem precisa", disse. O professor também citou o Estatuto da Pessoa com Deficiência e disse que o poder público deve garantir suporte inclusivo para quem precisa, dando prioridade a tecnologias nacionais.

O professor e os alunos foram homenageados pelo colegiado de Saúde, que vai levar a ideia ao governo do Estado. "Precisamos valorizar essas iniciativas e incentivar nossos estudantes", disse o deputado Dr. Bruno Resende.

O deputado Zé Preto também elogiou o projeto. "Vamos fazer essa ponte para apresentar esse trabalho ao Executivo. Temos equipamentos muito caros para pessoas com deficiência e chama a atenção o curso e o benefício do aparelho", destacou o parlamentar.

Comissões: Saúde
Papel dos conselhos na defesa das mulheres em pauta
Seminário abordou importância de estruturas como Conselhos Municipais e Procuradorias das Mulheres para a construção de políticas públicas de gênero
PL prevê educação física adaptada para aluno com transtorno
Alunos com transtornos sensoriais ou psicológicos poderão ter assegurado em lei o direito à educação física adaptada
Lei oficializa primeiros passos dos imigrantes
Rota Caminho dos Imigrantes, entre Santa Teresa e Santa Leopoldina, tem quase 30 km; outras cinco leis de valorização do turismo e cultura foram publicadas no DPL ...
CPI alerta para casos de bullying na internet
Comissão de Inquérito da Ales apura abusos contra crianças e adolescentes no ambiente virtual; violações vão de ameaças a incitação à prática de crimes
Papel dos conselhos na defesa das mulheres em pauta
Seminário abordou importância de estruturas como Conselhos Municipais e Procuradorias das Mulheres para a construção de políticas públicas de gênero
PL prevê educação física adaptada para aluno com transtorno
Alunos com transtornos sensoriais ou psicológicos poderão ter assegurado em lei o direito à educação física adaptada
Lei oficializa primeiros passos dos imigrantes
Rota Caminho dos Imigrantes, entre Santa Teresa e Santa Leopoldina, tem quase 30 km; outras cinco leis de valorização do turismo e cultura foram publicadas no DPL ...
Política de Privacidade.

O Portal da Ales utiliza cookies para auxiliar na sua navegação. Ao utilizar este site, você concorda com a nossa política de monitoramento de cookies. Para mais informações, acesse a nossa Politica de Privacidade.

ACEITO E FECHAR