Vitória reclama de insegurança e governo promete melhoria
Data da Publicação: 12/04/2017




Foto: Luciana Wernersbach

A falta de segurança em 15 bairros do município de Vitória, atendidos pela 12ª Companhia da Polícia Militar, foi tema de audiência pública da Comissão de Segurança Pública, na noite de quinta-feira (11), em Jardim da Penha. Frente a reclamações como roubos e furtos de telefones, bicicletas e carros, além do tráfico de drogas, o governo estadual acenou com medidas como rondas noturnas, blitze e novas viaturas. 

O evento foi presidido pelo deputado Euclério Sampaio (PDT), vice-presidente da Comissão de Segurança, e contou com a presença do secretário de Estado da pasta, André Garcia, e do chefe de gabinete do governador Paulo Hartung, Paulo Roberto Ferreira. Também participaram o procurador Paulo Panaro Figueira Filho; o major Carlos Magno de Oliveira; representantes das Polícias Militar e Civil e de associações de moradores.

O coordenador de Segurança da Associação de Moradores de Jardim da Penha, André Luiz Alves, reivindicou mais segurança para o bairro, alegando muitos roubos de telefones, bicicletas e carros, e a realização de festas clandestinas na Rua da Lama, como o Baile do Mandela, que, segundo ele, possibilitam o tráfico de drogas. 

“Gostaríamos de cobrar que o efetivo de 221 policiais prometido pelo governo do Estado realmente esteja presente, atuando com cerco tático; pedir uma base da PM na Ponte da Passagem; que sejam feitas mais operações de blitz, abordagens em pontos estratégicos; policiamento de madrugada; a volta da patrulha das comunidades; mais iluminação nas ruas; e manter presos os ladrões que vivem fazendo vítimas no bairro, pois sabemos quem são, eles são presos e em seguida já estão soltos de novo”, cobrou.

APSeguranca_11052017_LucianaWernersbach.jpg
O presidente da Associação dos Moradores de Jardim Camburi, Enoque Sampaio, também reclamou da falta de policiamento no Estado, mas lembrou que fica difícil a Polícia Civil investigar crimes e prender meliantes, se a Justiça possui leis brandas e os solta. O presidente da Associação de Moradores do Bairro República, Valter Guedes, endossou o pedido por mais segurança.

Rondas noturnas

De acordo com o major Carlos Magno de Oliveira, comandante da 12ª Companhia da PM, criada em março, várias medidas estão sendo tomadas para diminuir a violência nos bairros, inclusive as rondas noturnas. “Estamos fazendo policiamento noturno, estamos inovando nossa escala, principalmente em domingos e feriados para dar mais apoio às famílias em seus dias de lazer”, informou. 

Ele lembrou que o líder do bairro é importante parceiro da polícia. “O líder comunitário está sempre em contato comigo, sugerindo quais locais precisam de mais policiamento. Atendo o mapa do crime, mas também tenho parceria com a comunidade”. Segundo ele, o efetivo atualmente é de 192 policiais, mas em breve será complementado e chegará aos 221 propostos.

O secretário de Segurança Pública, André Garcia, também ressaltou a ação do governo: “Fizemos uma reestruturação com a premissa de aproveitar o efetivo existente na Polícia Militar e melhor redistribuí-lo. Por isso, entre outras ações, criamos três novas companhias: em Feu Rosa, na Serra; no bairro Jabaeté, região 5 de Vila Velha; e outra em Jardim Camburi, essa sobre a qual estamos discutindo, que é uma companhia com status próximo a de um batalhão”, explicou.

Entre outras ações que estão sendo implementadas, o secretário destacou a substituição de viaturas mais antigas. “Mudamos 53 na Região Metropolitana e, nos próximos meses entregaremos, 160”, afirmou. “Também vamos voltar a pagar hora-extra para os policiais que puderem trabalhar nos horários de folga; e estamos colocando todo o efetivo nas ruas pelo menos uma vez por semana, com blitzen e abordagens”, completou Garcia.

Crise

O secretário reconheceu que existe uma crise, mas alegou que ela ocorre em todas as áreas. “Estamos num momento difícil, mas estamos trabalhando para superar com vontade e determinação. Mês a mês os indicadores começam a voltar à normalidade. A polícia está praticamente toda trabalhando – ainda há alguns afastamentos para tratamento de saúde, estamos reequipando a polícia, colocando viaturas novas, fazendo um esforço de presença maior na rua. Quanto a essa reunião, vamos trabalhar cada uma das demandas levantadas aqui, inclusive já (vamos) ver a possibilidade de um posto base na Ponte da Passagem com a estrutura existente; o aumento do efetivo policial na região; e a continuação das ações para identificar os responsáveis pelo Baile do Mandela”, prometeu. 

Para o deputado Euclério Sampaio, a reunião foi satisfatória. “Há muito tempo não saímos de uma audiência pública já com promessas de melhorias, como um posto base na Ponte da Passagem, uma das reivindicações dos moradores de Vitória”, afirmou.

Estão sob a circunscrição da 12ª Companhia os seguintes bairros: Aeroporto, Boa Vista, Jabour, Jardim Camburi, Jardim da Penha, Maria Ortiz, Mata da Praia, Morada de Camburi, Parque Industrial, Pontal de Camburi, República, Segurança do Lar e Solon Borges.

A audiência reuniu moradores e representantes do poder público, como o comandante da Polícia Militar, Nylton Rodrigues; o coronel Alexandre Ramalho; o delegado José Luiz Paseta, representando a Polícia Civil; o vereador Deninho; e o subsecretário Municipal de Segurança Urbana de Vitória, Luiz Roberto Ramalhete. 

Luciana Wernersbach/Web Ales
(Reprodução autorizada mediante citação da Web Ales)

 

 
Mais Notícias
Procuradora-geral presta contas de biênio à frente do MPES
Segurança debate problemas na balança da BR-259
Rotativo de Guarapari volta à pauta em CPI