Projetos trazem reajuste para policiais e bombeiros

Matérias beneficiam carreiras militares estaduais e diversas categorias da Polícia Civil capixaba

Por Gleyson Tete

Polícia Militar do ES
Polícia Militar do ES / Foto: PMES

Chegou a Assembleia Legislativa (Ales) um pacote de matérias enviado pelo governador Renato Casagrande (PSB) concedendo reajuste salarial para a Polícia (PMES) e Bombeiro Militar (CBMES) e para as diversas categorias da Polícia Civil (PCES)

“Esta iniciativa é eminente e relevante, e contribuirá com o compromisso do governo de valorização das carreiras da área de segurança pública para construção de Poder Público Estadual moderno, eficaz e eficiente”, diz a justificativa do chefe do Executivo estadual. 

O Projeto de Lei Complementar (PLC) 9/2020 trata do reajuste para os militares. De acordo com as tabelas, por exemplo, um soldado na classe inicial da carreira que hoje recebe R$ 2.875,68 vai passar a ganhar já neste mês R$ 3.137,76. Em julho do ano que vem o valor será de R$ 3.388,78; em julho de 2022 R$ 3.524,33 e em dezembro do mesmo ano R$ 3.704,55. 

A mensagem avalia que o impacto do reajuste para a PMES será de R$ 73 milhões neste ano e para o CBMES de R$ 7,3 milhões. Após a implementação de todos os reajustes a previsão é que o Estado gaste num período de 12 meses com a Polícia aproximadamente R$ 266 milhões e com os Bombeiros R$ 26 milhões. 

Outra alteração da proposta ocorre na questão do serviço extraordinário previsto na Lei Complementar 420/2007. Ela acaba com a jornada máxima de 18 horas mensais, reduzindo para 12 horas por mês para todos os policiais e bombeiros militares neste ano e limitando a 6 horas no máximo a partir de dezembro de 2022. 

Já os PLCs 10 e 11/2020 versam sobre as carreiras da Polícia Civil (PCES), como peritos, investigadores e delegados. A primeira proposição concede reajuste para inúmeras carreiras. Um investigador de Polícia que está recebendo R$ 5.282,47 vai começar a ganhar R$ 5.493,77 no início da carreira. A partir de julho do ano que vem será de R$ 5.713.52; em julho de 2022 R$ 5.942,06 e em dezembro R$ 6.245,92. 

A repercussão financeira é de R$ 12,8 milhões para este ano. Após todos os reajustes ao final de 2022 o impacto será de cerca de R$ 60 milhões para um interstício de 12 meses. 

O projeto ainda modifica várias leis complementares para mudar o tempo de serviço extraordinário dessas carreiras. Quase todas podem fazer 24 horas por mês e passarão a fazer no máximo 12 horas em 2022, seguindo o período de 6 horas seguidas. À exceção é a perícia oficial criminal, que vai cumprir 12 horas mensais, mas com 6 horas seguidas. 

Por fim, o PLC 11 abrange somente os delegados de Polícia. Segundo a iniciativa um profissional em início de carreira que no momento ganha R$ 10.410,61 vai passar a receber já neste mês R$ 10.827,03. Em julho do ano que vem o valor será de R$ 11.260,12; em julho de 2022 R$ 11.710,52 e em dezembro R$ 12.309,35. A projeção de impacto para esse ano é de R$ 2,7 milhões. Depois de conceder todos os reajustes vai ser de R$ 12,6 milhões para um acumulado de 12 meses. 

A matéria também altera a Lei Complementar 412/2007 na questão do serviço extraordinário. Eles podem fazer 24 horas por mês, com até 12 horas seguidas, esse tempo vai cair para 6 horas em dezembro de 2022. 

Tramitação

Todas as matérias foram lidas no Expediente desta terça-feira (10) e vão passar pelas comissões de Justiça, Cidadania, Segurança e Finanças.

Vacina: Deputada quer prioridade para jornalistas
Janete de Sá protocolou indicação ao governo sugerindo a imunização prioritária de profissionais de imprensa
Lei: Facas expostas à venda devem estar protegidas
Lei de autoria de Torino Marques obriga estabelecimentos a manter facas, canivetes, estiletes e facões em compartimentos protegidos por vidro ou acrílico
Presidente do Sindilegis morre vítima de Covid
Gildo Gomes estava internado desde 21 de março e faleceu na manhã desta sexta em decorrência de complicações da doença
Ales recebe 300 cestas de alimentos em 1º dia de campanha
Oferta feita por um grupo de empresas foi entregue pela Findes e será destinada a entidades que atendem a pessoas em vulnerabilidade social
Vacina: Deputada quer prioridade para jornalistas
Janete de Sá protocolou indicação ao governo sugerindo a imunização prioritária de profissionais de imprensa
Lei: Facas expostas à venda devem estar protegidas
Lei de autoria de Torino Marques obriga estabelecimentos a manter facas, canivetes, estiletes e facões em compartimentos protegidos por vidro ou acrílico
Presidente do Sindilegis morre vítima de Covid
Gildo Gomes estava internado desde 21 de março e faleceu na manhã desta sexta em decorrência de complicações da doença