Isenção em concurso para quem trabalha na eleição

Objetivo de projeto de lei é recompensar cidadãos que prestam serviço à Justiça Eleitoral

Por Gleyson Tete

Imagem de mão segurando caneta e marcando respostas em gabarito
PL trata de isenção da taxa de inscrição em concurso / Foto: Divulgação

O deputado Dr. Rafael Favatto (Patri) protocolou na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei (PL) 456/2020, que isenta do pagamento de inscrição em concursos públicos estaduais os eleitores convocados e nomeados pela Justiça Eleitoral capixaba para prestarem serviços visando à preparação, execução e apuração de eleições oficiais, plebiscitos ou referendos.

Segundo o parlamentar, a ideia é compensar o trabalho cívico realizado pelos cidadãos que trabalham sem remuneração nas eleições e que atuam para permitir que o processo democrático ocorra de forma bem-sucedida. “Assegurando a isenção do pagamento em concursos públicos se oferece não só um incentivo aos que prestam o compromisso cívico, mas também a valorização desses cidadãos”, argumenta.

Para ter direito à isenção o eleitor convocado terá que comprovar o serviço prestado à Justiça Eleitoral por, no mínimo, dois eventos eleitorais, consecutivos ou não. A comprovação desse serviço será feita por meio de documento expedido pela autoridade eleitoral que contenha o nome, função desempenhada, o turno e a data da eleição. O benefício valerá por dois anos a partir do momento em que a pessoa cumprir os requisitos.

Dentre os cargos que o cidadão pode ocupar para ter acesso a esse direito, a matéria cita presidente de mesa, primeiro e segundo mesário, secretário e suplente; membro, escrutinador e auxiliar de junta eleitoral; coordenador de seção eleitoral; secretário de prédio e auxiliar de juízo; e os designados para auxiliar os trabalhos da Justiça Eleitoral, inclusive, aqueles destinados à preparação e montagem dos locais de votação.

Conforme o texto, a iniciativa engloba concursos realizados pela administração pública direta e indireta, autarquias, fundações públicas e entidades mantidas pelo poder público estadual. 

Legislação

Favatto destaca na justificativa da proposta que leis semelhantes já estão em vigor nos estados do Piauí, Rio Grande do Norte, Paraná, no Distrito Federal e no município de Natal. Além disso, que diversas leis garantindo isenção em concursos públicos estaduais já foram aprovadas, inclusive, no Espírito Santo, como a que garante isenção para doadores de sangue. 

Em caso de aprovação, a nova legislação vai entrar em vigor na data de sua publicação em diário oficial. A partir de então, o poder Executivo estadual terá 30 dias para regulamentá-la.

Tramitação 

A matéria será analisada pelas comissões de Justiça e Finanças, antes de ir a Plenário para votação. 

Vacina: Deputada quer prioridade para jornalistas
Janete de Sá protocolou indicação ao governo sugerindo a imunização prioritária de profissionais de imprensa
Lei: Facas expostas à venda devem estar protegidas
Lei de autoria de Torino Marques obriga estabelecimentos a manter facas, canivetes, estiletes e facões em compartimentos protegidos por vidro ou acrílico
Presidente do Sindilegis morre vítima de Covid
Gildo Gomes estava internado desde 21 de março e faleceu na manhã desta sexta em decorrência de complicações da doença
Ales recebe 300 cestas de alimentos em 1º dia de campanha
Oferta feita por um grupo de empresas foi entregue pela Findes e será destinada a entidades que atendem a pessoas em vulnerabilidade social
Vacina: Deputada quer prioridade para jornalistas
Janete de Sá protocolou indicação ao governo sugerindo a imunização prioritária de profissionais de imprensa
Lei: Facas expostas à venda devem estar protegidas
Lei de autoria de Torino Marques obriga estabelecimentos a manter facas, canivetes, estiletes e facões em compartimentos protegidos por vidro ou acrílico
Presidente do Sindilegis morre vítima de Covid
Gildo Gomes estava internado desde 21 de março e faleceu na manhã desta sexta em decorrência de complicações da doença