Colatina: estrada deve ser estadualizada

Governo quer incluir no sistema rodoviário estadual trecho de aproximadamente 4 quilômetros que dá acesso ao Terminal de Cargas do município

Por Silvia Magna, com edição de Nicolle Expósito

Trecho de estrada com placa apontando para Terminal de Cargas e Maria Ortiz
Segundo Executivo, estadualização proporcionará melhorias na estrutura do local / Foto: Luciano Gasperazzo

O governo do Estado protocolou o Projeto de Lei (PL) 374/2021, que visa estadualizar o trecho que liga o trevo da Rodovia ES 357 (estrada vicinal) ao portão de acesso ao Terminal de Cargas de Colatina. A proposta terá parecer das comissões de Justiça, Mobilidade Urbana e Finanças antes de ser votada pelo Plenário. 

A iniciativa, segundo o Poder Executivo, é fruto de uma solicitação do deputado Renzo Vasconcelos (PP) ao Departamento de Edificações e de Rodovias do Estado do Espírito Santo (DER-ES) com objetivo de fomentar o desenvolvimento do município e, consequentemente, do Espírito Santo, já que o trecho liga três importantes pontos industriais e de escoamento de produtos naquela região.

O trecho, segundo a proposta, possui 4,2 quilômetros de extensão e liga o Polo Industrial Mário Moacyr Cassani ao Polo Industrial de Colatina, instalado no entorno do Terminal de Cargas Virgílio Angelo Cassani, no Distrito de Baunilha.

De acordo com a proposta, a estadualização proporcionará melhorias na estrutura do local, o que possibilitará a implantação de novos empreendimentos devido à localização do terminal, além de fomentar o transporte ferroviário.

“Insta salientar que o Terminal de Cargas, é um grande atrativo para as empresas pela logística que oferece no transporte de seus produtos. Todavia, para garantir que funcione com sua capacidade plena, depende de investimentos na melhoria de suas vias de acesso e no âmbito da circulação interna do empreendimento”, justifica o Executivo.

Últimos dias para a propaganda eleitoral do primeiro turno
No domingo, dia das eleições gerais, é proibido fazer propaganda
Proibida a prisão de eleitores
Garantia vai até 48 horas após o pleito de domingo, à exceção de flagrante delito, sentença condenatória por crime inafiançável e desrespeito a salvo-conduto
Voto facultativo pode ser decisivo nas eleições
Analfabetos, jovens de 16 e 17 anos e idosos a partir de 70 anos representam 13,5% do eleitorado capixaba 
Apuração dos votos é feita em tempo real
Resultado das eleições pode ser acompanhado por aplicativos e plataforma do TSE na internet
Últimos dias para a propaganda eleitoral do primeiro turno
No domingo, dia das eleições gerais, é proibido fazer propaganda
Proibida a prisão de eleitores
Garantia vai até 48 horas após o pleito de domingo, à exceção de flagrante delito, sentença condenatória por crime inafiançável e desrespeito a salvo-conduto
Voto facultativo pode ser decisivo nas eleições
Analfabetos, jovens de 16 e 17 anos e idosos a partir de 70 anos representam 13,5% do eleitorado capixaba