Projeto altera lei estadual sobre segurança bancária

Objetivo é adaptar a legislação local a normas federais no que tange à segurança em agências de cooperativas de crédito

Por Marcos Bonn, com edição de Angèle Murad

Fachada do Sicoob com porta de vidro
Proposta é de autoria do deputado Mansur / Foto: Arquivo Sicoob-SP

Proposto pelo deputado Pastor Marcos Mansur (PSDB), o Projeto de Lei (PL) 800/2021 visa ajustar às normas federais a legislação estadual que estabelece medidas de segurança em instituições financeiras. Para isso, a matéria altera a Lei 6.228/2000

Conforme a legislação estadual em vigor, é obrigatória a instalação de portas eletrônicas ou outros mecanismos de segurança que impeçam a entrada de pessoas armadas em estabelecimentos bancários e afins, como instituições de crédito e securitárias. 

No entanto, segundo a Lei Federal 7.102/1983, o Executivo deverá estabelecer, considerando o reduzido volume financeiro, requisitos próprios de segurança para cooperativas de crédito, como a dispensa de contratação de vigilantes se isso inviabilizar a existência da instituição.

Também é prevista na lei a inexigibilidade de sistema de segurança para agência de cooperativa situada dentro de edificação que já conta com tal estrutura, assim como possibilidade da elaboração de um único plano de segurança por cooperativa singular de crédito.

O autor da iniciativa, que é presidente da Comissão de Cooperativismo, destaca que há uma “antinomia” (contradição de princípios) entre as leis federal e estadual em vigência e solicita a atuação da Casa no sentido de “garantir a segurança jurídica e a harmonia do ordenamento jurídico capixaba.”

Tramitação

A matéria tramitará pelas comissões de Justiça, de Defesa do Consumidor e de Finanças.

Deputados: Pr. Marcos Mansur
Últimos dias para a propaganda eleitoral do primeiro turno
No domingo, dia das eleições gerais, é proibido fazer propaganda
Proibida a prisão de eleitores
Garantia vai até 48 horas após o pleito de domingo, à exceção de flagrante delito, sentença condenatória por crime inafiançável e desrespeito a salvo-conduto
Voto facultativo pode ser decisivo nas eleições
Analfabetos, jovens de 16 e 17 anos e idosos a partir de 70 anos representam 13,5% do eleitorado capixaba 
Apuração dos votos é feita em tempo real
Resultado das eleições pode ser acompanhado por aplicativos e plataforma do TSE na internet
Últimos dias para a propaganda eleitoral do primeiro turno
No domingo, dia das eleições gerais, é proibido fazer propaganda
Proibida a prisão de eleitores
Garantia vai até 48 horas após o pleito de domingo, à exceção de flagrante delito, sentença condenatória por crime inafiançável e desrespeito a salvo-conduto
Voto facultativo pode ser decisivo nas eleições
Analfabetos, jovens de 16 e 17 anos e idosos a partir de 70 anos representam 13,5% do eleitorado capixaba