Olimpíadas científicas: alunas recebem certificados

Estudantes de escolas públicas da Grande Vitória e interior foram homenageadas em sessão solene

Por Aldo Aldesco, com edição de Marcos Bonn

Homenageada com certificado
Ao todo, foram entregues oito certificados / Foto: Ana Salles

O Certificado Meninas Olímpicas foi entregue a oito alunas de escolas da Grande Vitória e do interior durante sessão solene da Assembleia Legislativa (Ales). O evento foi realizado nesta quinta-feira (31), no Plenário Dirceu Cardoso, e teve como proponente a deputada Iriny Lopes (PT).

Veja o álbum de fotos

O Prêmio Meninas Olímpicas foi instituído pela Resolução 7.719/2021, de autoria da parlamentar, e destina-se às estudantes capixabas de escolas públicas participantes de olimpíadas científicas, incluindo as meninas indígenas e afrodescendentes. O prêmio consiste na entrega de um certificado para aquelas que se destacaram nas competições.

Iriny Lopes, que também é procuradora Especial da Mulher da Ales, destacou que a iniciativa é em defesa dos direitos e interesses das meninas. Embora as competições tenham meninas e meninos nas olímpiadas nas turmas iniciais do ensino, com o decorrer dos anos, afirmou ela, as meninas vão ficando para trás.

“As próprias famílias, pelas questões culturais, não tratam de forma igual filhos e filhas. As meninas ficam em casa no compartilhamento das tarefas domésticas e os meninos ficam mais livres. E isso cria um distanciamento que lá na frente consolida-se a ideia que os homens estão preparados para questões mais complexas”, analisou.

A deputada ainda destacou que, segundo a ONG Centro de Referência em Educação Integral, cerca de 16 milhões de meninas nunca terão chance de ir à escola. São aquelas que estão em situação de vulnerabilidade social, econômica e cultural.

“Só quem viveu sabe o quanto é difícil para uma mulher e ainda uma mulher negra chegar até aqui. Eu mesmo era uma pessoa que não acreditava em mim. Na minha cabeça eu sempre seria o quarto lugar, o bom, mas nunca o suficiente. Acreditava que acontecia com outras pessoas e não comigo”, relatou a representante das meninas olímpicas homenageadas Iane Martins Tavares Nascimento. Ela é aluna da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio de Guarapari.

Patriarcalismo

“Existe uma cultura enraizada da divisão sexual do trabalho. Essa cultura enraizada atravessa o ambiente escolar, familiar e profissional. Fui a única menina da minha escola a passar na primeira fase das olimpíadas de matemática. A gente sofre sendo a única menina. O primeiro brinquedo que ganhei quando criança foi uma boneca, o segundo foi um fogão”, exemplificou a representante do Levante da Juventude do Espírito Santo, Karini Bergi Albanez.

A sociedade enxerga as mulheres de forma limitada, apesar da participação significativa na produção científica do país, ressaltou a representante da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Iracema, em Conceição da Barra, Daniele Reis. Ela destacou a importância dos incentivos dado pelas escolas e pelos profissionais da educação às meninas.

Maior participação

A diretora da Escola Estadual de Ensino Médio de Guarapari, Cybele Tavares Serrano, enfatizou a importância da participação das meninas nas competições e o papel das escolas na vida de todos.

“Lugar de mulher é onde ela quer estar. Ela luta por isso. Nossa luta é ainda maior porque nós damos conta de filhos, de casa, de lar, de marido, de trabalho. Nós somos meio que camaleão. Nós mudamos de cor e buscamos resolver todas as nossas situações. Após dois anos de afastamento, estamos vivendo um grande desafio nas escolas onde a violência está crescente, em que os alunos estão voltando de uma clausura, da não convivência social nas escolas. Aí percebemos o quanto é importante a escola na vida de todos”.

A representante da Secretaria de Educação (Sedu), a subsecretária de Educação Básica e Profissional, Vanessa Coelho Bhakti, observou que nas competições o número de meninas é bem menor do que o de meninos. Ela reconheceu a importância dos incentivos para a participação das meninas nas olimpíadas e disse que a Sedu tem incentivado as competições em várias áreas do conhecimento. “Vamos juntos para poder chegar a redução desses números que acabam nos colocando como mulheres que não conseguem alcançar a igualdade que a gente tanto busca”, propôs.

Além dos citados, compôs a mesa de autoridades da audiência o diretor da Escola Estadual de Ensino Médio Renato José da Costa Pacheco, Glauber Silveira. A coordenadora do Movimento Meninas Olímpicas, Nara Bigolin, participou virtualmente da sessão solene. 

Homenageadas com certificados

  1. Maria Eduarda Casagrande Delpupo  - Olimpíada Nacional de Eficiência Energética (ONEE) – EEEFM Fioravante Caliman, Venda Nova do Imigrante;
  2. Julia Faria da Silva - Olimpíada Nacional de Eficiência Energética (ONEE) – EEFM Fioravante Caliman , Venda Nova do Imigrante;
  3. Ana Clara Santos Martins - Olimpíada Nacional de Eficiência Energética (ONEE) – EEEFM Iracema da Conceição Silva, Serra;
  4. Cecília Salomão Prates - Olimpíada Nacional de Eficiência Energética (ONEE) – EEEFM Iracema da Conceição Silva, Serra;
  5. Letícia Kalker - Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP);
  6. Luna Ferreira Martins - Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), Serra;
  7. Jessua Gonçalves Valadão Machado - Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) – EEEFM Antônio Carneiro Ribeiro, Guaçuí;
  8. Iane Martins Tavares Nascimento - Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) – EEEFM de Guarapari.
Papel dos conselhos na defesa das mulheres em pauta
Seminário abordou importância de estruturas como Conselhos Municipais e Procuradorias das Mulheres para a construção de políticas públicas de gênero
PL prevê educação física adaptada para aluno com transtorno
Alunos com transtornos sensoriais ou psicológicos poderão ter assegurado em lei o direito à educação física adaptada
Lei oficializa primeiros passos dos imigrantes
Rota Caminho dos Imigrantes, entre Santa Teresa e Santa Leopoldina, tem quase 30 km; outras cinco leis de valorização do turismo e cultura foram publicadas no DPL ...
CPI alerta para casos de bullying na internet
Comissão de Inquérito da Ales apura abusos contra crianças e adolescentes no ambiente virtual; violações vão de ameaças a incitação à prática de crimes
Papel dos conselhos na defesa das mulheres em pauta
Seminário abordou importância de estruturas como Conselhos Municipais e Procuradorias das Mulheres para a construção de políticas públicas de gênero
PL prevê educação física adaptada para aluno com transtorno
Alunos com transtornos sensoriais ou psicológicos poderão ter assegurado em lei o direito à educação física adaptada
Lei oficializa primeiros passos dos imigrantes
Rota Caminho dos Imigrantes, entre Santa Teresa e Santa Leopoldina, tem quase 30 km; outras cinco leis de valorização do turismo e cultura foram publicadas no DPL ...
Política de Privacidade.

O Portal da Ales utiliza cookies para auxiliar na sua navegação. Ao utilizar este site, você concorda com a nossa política de monitoramento de cookies. Para mais informações, acesse a nossa Politica de Privacidade.

ACEITO E FECHAR