Iniciativa proíbe venda de celular sem acessórios

Para Assumção, proposta dos fabricantes prejudica consumidor, que terá de comprar componentes à parte

Por Silvia Magna, com edição de Angèle Murad

Pessoas de costas encostadas em balcão de loja com acessórios de equipamentos eletrônicos
Autor considera como "venda casada dissimulada" a aquisição de acessórios do mesmo fabricante / Foto: Lucas S. Costa

O Projeto de Lei (PL) 208/2022 proíbe a venda de aparelhos de telefonia móvel sem cabos, fone de ouvido, conectores, baterias e outros itens necessários para o correto uso do equipamento. A iniciativa é do deputado Capitão Assumção (PL), que apresentou a matéria após fabricantes anunciarem a possibilidade de comercializar aparelhos apenas com cabo de alimentação de energia.

Os fabricantes alegam que a medida causaria menos impacto no meio ambiente, já que o processo de manufatura demanda extração de minério e emissão de carbono. Mas, de acordo com Assumção, a atitude prejudica o consumidor, que terá limitações quanto ao uso do telefone, tendo que gastar mais para adquirir outros componentes. 

O deputado também alega que a medida induz o comprador a uma forma indireta de venda casada, prática considerada abusiva pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC): 

“A exclusão de tais componentes constitui clara tentativa por parte da fabricante de maximizar suas margens de lucro de forma injustificada. O consumidor precisará comprar fones e carregador separadamente, a preços muitas das vezes exorbitantes. A retirada dos referidos acessórios, que é imprescindível ao normal funcionamento do produto principal, as empresas incidem na prática de venda casada por dissimulação, já que obriga o consumidor a adquirir um segundo produto de sua fabricação exclusiva, sem o qual o produto principal não se presta ao fim a que se destina”, disse. 

Segundo a proposta, a desobediência à virtual norma acarretará diversas punições, entre as quais está multa que pode chegar a R$ 121 mil, com base no Valor de Referência do Tesouro Estadual (VRTE). Em caso de reincindência, além de cobrança em dobro, o estabelecimento poderá ter o alvará de funcionamento suspenso temporariamente. 

Tramitação

A matéria foi protocolada no dia 12 de maio e lida na sessão ordinária do dia 16 daquele mês. Após a leitura, a proposição foi encaminhada às Comissões de Constituição e Justiça, Meio Ambiente, Finanças e Defesa do Consumidor. Caso seja aprovada, a medida entrará em vigor na data de sua publicação em diário oficial.

Parceria busca aprimorar trabalho de servidores
Ales e Esesp assinaram termo de cooperação que promove intercâmbio e possibilita a servidores públicos participar de diferentes atividades promovidas pelas instituiç...
Deputados vão tomar posse em sessão solene
Marcada para 10 horas de quarta-feira (1º), solenidade terá termo de compromisso e entrega da Comenda Domingos Martins
Polese: trabalho contra a corrupção e a burocracia
Iniciante na Assembleia, Lucas Polese promete imprimir postura combativa que o notabilizou nas redes sociais e atuar pelo fortalecimento do Poder Legislativo
Bahiense: segurança pública como prioridade
Parlamentar reeleito diz que vai lutar pela melhoria da remuneração e das condições de trabalho dos servidores da área 
Parceria busca aprimorar trabalho de servidores
Ales e Esesp assinaram termo de cooperação que promove intercâmbio e possibilita a servidores públicos participar de diferentes atividades promovidas pelas instituiç...
Deputados vão tomar posse em sessão solene
Marcada para 10 horas de quarta-feira (1º), solenidade terá termo de compromisso e entrega da Comenda Domingos Martins
Polese: trabalho contra a corrupção e a burocracia
Iniciante na Assembleia, Lucas Polese promete imprimir postura combativa que o notabilizou nas redes sociais e atuar pelo fortalecimento do Poder Legislativo